Conceito Oficial de Naturologia


"A Naturologia é um conhecimento transdisciplinar que atua em um campo igualmente transdisciplinar. Caracteriza-se por uma abordagem integral na área da saúde pela relação de interagência do ser humano consigo, com o próximo e com o meio ambiente, com o objetivo de promoção, manutenção e recuperação da saúde e da qualidade de vida." (I Fórum Conceitual de Naturologia, 11/2009 - SC)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Chá verde pode reduzir o risco de Câncer de cólon

Na China o Chá Verde (Camelia sinensis) é utilizado tradicionalmente na alimentação. Isso facilitou o objeto de estudo e a análise das voluntárias. Já conhecido por seus benefícios aqui no ocidente, agora mais um estudo relaciona os benefícios desta planta medicinal para a prevenção de doenças degenerativas.
Encontrei este artigo no site da EUFIC (Conselho Europeu de Informação sobre a Alimentação) e tentei traduzir da melhor forma, mas nas referências pode-se encontrar o texto original em inglês. Boa leitura!
__________

O chá verde é rico em antioxidantes polifenóis, que são conhecidos por ajudar a proteger contra o câncer e doenças cardíacas. Um estudo da China relatou associações benéficas entre o consumo regular de chá verde e o risco de câncer colorretal. A doença afeta cerca de um milhão de pessoas em todo o mundo e está ligada a maus hábitos alimentares, os baixos níveis de atividade física e ao envelhecimento da população. 
Um grupo de 70.000 mulheres chinesas com idades entre 40 e 70 anos foi acompanhado por seis anos, período em que 256 casos de câncer colorretal foram registrados. O consumo regular de chá verde foi associado com uma redução de 37% no risco de câncer colorretal. Os hábitos alimentares diários foram correlacionados então com o risco de câncer a fim identificar alimentos e bebidas potencialmente protetores.
Uma clara relação evidenciou que os benefícios foram vistos em quem consumiu mais vezes o Chá e por mais tempo ao longo dos anos. Embora o estudo centrou-se apenas em associações,  diversas pesquisas apontam para os atributos protetores significativos dos polifenóis do Chá Verde, por exemplo, epigalocatequina galato e epicatequina.


Para obter mais informações, consulte:
Yang G et al (2007) Prospective cohort study of green tea consumption and colorectal cancer risk in women. Cancer Epidemiology, Biomarkers and Prevention, Vol 16, pg 1219-1223.

Fonte: EUFIC (em inglês)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Amamentação parcial não traz imunidade igual à integral, diz estudo

O essencial é a mãe aprender a amamentar. Às vezes a "pegada" incorreta do bico do seio não faz a estimulação adequada para a produção do leite. E se ainda assim o leite é insuficiente, há algumas técnicas bacanas para estimular a produção, como a Acupuntura por exemplo.
E não existe leite 'fraco' mamães, é preciso dar de mamar até esvaziar uma das mamas para então iniciar a outra. O primeiro leite a ser sugado pelo bebê é mais líquido, mais fluido, o que vai basicamente hidratar e só no final é que vem o leite mais espesso, mais gorduroso, aquele que vai saciar a fome do bebê. Caso tenha dúvidas, informe-se sobre a forma adequada de amamentar.
Hoje há diversos Cursos de Gestantes em que a mãe e o pai podem participar para esclarecer suas dúvidas, mas ainda assim você pode pedir dicas para as enfermeiras do hospital, doulas ou para o pediatra.

Campanha do Ministério da Saúde sobre Amamentação: 
10 motivos para Amamentar. (clique na figura para ver maior)

Amamentação é boa para você e para o seu filho!
Segue abaixo um artigo bacana do jornal Folha de São Paulo.

___________

Bebês alimentados exclusivamente com leite materno até os seis meses de idade ganham proteção extra contra infecções, dizem cientistas gregos. O efeito observado independe de fatores como acesso à saúde e programas de vacinação, eles explicam.
Segundo os especialistas da Universidade de Creta, o segredo estaria na composição do leite materno. As conclusões do estudo, que envolveu pouco mais de 900 bebês vacinados, foram publicadas na revista científica Archives of Diseases in Childhood. A equipe ressalta, no entanto, que o benefício só ocorre quando o bebê é alimentado com leite da mãe apenas. Ou seja, acrescentar fórmulas ao leite materno não produz o mesmo efeito.
Especialistas em todo o mundo já recomendam que bebês sejam alimentados somente com leite materno pelo menos durante os seis primeiros meses de vida.

ESTUDO

Os pesquisadores gregos monitoraram a saúde de 926 bebês durante 12 meses, registrando quaisquer infecções ocorridas em seu primeiro ano de vida. Entre as infecções registradas estavam doenças respiratórias, do ouvido e candidíase oral (sapinho).

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Fitoterapia popular e Medicamentos fitoterápicos: uma grande diferença!

Muitas pessoas acompanharam a série do Fantástico com o Dr. Dráuzio Varella sobre Fitoterápicos, certo? Polêmicas a parte, eu discordei diversas vezes do ponto de vista da reportagem mas concordei quando se alertou sobre o uso incorreto da Fitoterapia. Fitoterapia não é religião e não basta fé para se curar, Fitoterapia é ciência. Diversas vezes a série quis relacionar a Fitoterapia ao crendismo e por vezes também se tornou contraditória ao confirmar que muitos medicamentos de hoje vieram a partir de plantas medicinais, o que é realmente verídico. 
No meu ponto de vista, a série confundiu e amedrontou as pessoas com relação aos Fitoterápicos, demonstrando que eficiente é somente o tratamento alopático. Não estou aqui para questionar a eficiência do tratamento alopático, porque sou a favor de pesquisas científicas quando falamos em saúde e qualidade de vida, mas me sinto no dever de defender a Fitoterapia com método eficaz de tratamento e prevenção de doenças. E isso não significa dizer que se possam usar deliberadamente chás e insumos vegetais sem acompanhamento profissional, porque sim, os Fitoterápicos tem contra-indicações e reações adversas. Para o uso correto da Fitoterapia  é necessário coerência  do profissional e acompanhamento de um Naturólogo ou até médico, para utilizá-la como tratamento. E nunca, de maneira alguma, em casos graves e de risco de vida, como o câncer por exemplo, deixe o tratamento convencional. Uma vez que a doença se instalou, é preciso conter sua evolução. Neste caso, as terapias complementares fazem juz ao nome, são complementares e só poderão se tornar exclusivas com o consentimento médico e do naturólogo.

Segue abaixo um texto interessante ainda sobre Fitoterápicos, que traz uma série de esclarecimentos que podem ter ficado "nebulosos" ou mal esclarecidos durante a trasmissão da série do Fantástico.
Boa leitura!
___________

O uso de plantas medicinais no tratamento de doenças acontece há muito tempo. Com o avanço da química, os principais ativos das plantas passaram a ser isolados. Sintetizados em laboratórios, deram origem a drogas importantíssimas, alopáticas. Já os fitoterápicos são obtidos exclusivamente de vegetais, vendidos em forma de extrato, tintura, óleo, cápsulas etc. Para registrá-los como medicamentos, os fabricantes precisam provar que conseguem manter a qualidade e a concentração do princípio ativo presente na planta. 

Chazinhos ou fitoterápicos?
Por citar bastante os “chazinhos” como tratamento para doenças, alguns poderiam imagina que Drauzio se referia, especificamente, às misturas feitas em casa, sem indicação médica, e não aos fitoterápicos registrados, o que logo é esclarecido quando a repórter cita que existem produtos fitoterápicos registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e vendidos nas farmácias e pergunta se esses também não são submetidos a estudos para comprovar sua eficácia e riscos. O médico responde que estes são registrados na Anvisa como complemento alimentar, não passando pelo mesmo crivo de um medicamento. Segundo o médico, “se tivesse autoridade para isso, mandaria recolher do mercado todos os fitoterápicos cuja eficácia não tenha sido demonstrada cientificamente”.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Estudos comprovam que os benefícios da Massagem vão além do Relaxamento


Não é de hoje que sabemos dos benefícios que uma boa massagem nos traz. Alívio de tensões e dores, relaxamento, melhora da circulação sanguínea e linfática, entre outros.
Mas além desses benefícios já conhecidos, sabiam que existem outros que nem ao menos imaginamos quando nos submetemos à uma massagem? A modalidade de massagem a ser realizada e os movimentos efetuados durante o procedimento é que irão definir o propósito do tratamento. Por isso é bacana procurar profissionais capacitados e que saibam efetuar diversos tipos de massagem para adequar aos objetivos do tratamento.
Gostou muito de ler notícias pela web, sempre que posso visito o site da Folha de São Paulo e ontem encontrei um artigo muito bacana sobre os benefícios da massagem que foi publicado no New York Times.
O estudo comprovou que a massagem, quando bem realizada, é benéfica para melhorar a imunidade, diminuir o estresse cotidiano, entre outros, e aumentar a quantidade da ocitocina no organismo. Mais conhecida pela sua função hormonal na mulher durante a gestação e amamentação, a ocitocina também é responsável por comportamentos generosos entre humanos, relações de amizade, fortalecimento dos laços entre mãe e filho, também é importante na promoção da confiança, amor, reconhecimento social e comportamento sexual.
Ou seja, a massagem possui, além dos benefícios físicos que já conhecemos, uma porção de benefícios emocionais e que melhoram as relaçãos sociais, no trabalho, com amigos e no ambiente famíliar. Incrível né?
Compartilho com vocês o artigo, boa leitura!
________


Uma boa massagem faz mais que apenas relaxar seus músculos? Para descobrir, pesquisadores do Centro Médico Cedars-Sinai, em Los Angeles, recrutaram 53 adultos saudáveis e aleatoriamente submeteram 29 deles a uma sessão de 45 minutos de intensa massagem sueca, e os outros 24 a uma sessão de massagem leve.

sábado, 25 de setembro de 2010

Vamos Reciclar? Dica para fechar saquinhos

 Reciclar: é fácil participar!

Recebi uma dica por email que é impossível não compartilhar. Quem não precisa fechar algum saquinho de comida que sobrou? Nem sempre os alimentos mantém a crocância depois de abrirmos uma embalagem.. é o biscoito que amoleceu, a maça desidratada que "emborrachou", entre outros.
Araminhos, prendedores fazem parte do nosso dia a dia, mas que tal uma idéia simples e barata de reciclar? É muito bacana, dá uma boa vedação para os alimentos e ajuda a preservar nosso planeta!

Idéias para reciclar tampas de garrafas pet (independente do tamanho):

1. Corte logo abaixo do gargalo usando tesoura ou outro cortador.

2. Passe o saco plástico por dentro do gargalo.















Depois basta fechar a tampa e pronto. Pode utilizar para mantimentos em geral, pães, etc.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

10 Motivos para escolher Alimentos Orgânicos!

Alimentos orgãnicos são, entre outros, livres de agrotóxicos e fertilizantes.


1. São Alimentos Nutritivos e Saborosos
Com solos balanceados e fertilizados com adubos naturais, se obtém alimentos mais nutritivos. A comida fica mais saborosa, conservam-se suas propriedades naturais como vitaminas, sais minerais, carboidratos e proteínas. Um alimento orgânico não contém substâncias tóxicas e nocivas à saúde. Em solos equilibrados as plantas crescem mais saudáveis, preservam-se suas características originais como aroma, cor e sabor. Consumindo produtos orgânicos é possível apreciar o sabor natural dos alimentos.

2. Saúde Garantida
Vários pesticidas utilizados hoje em dia no Brasil estão proibidos em muitos países, em razão de consequências provocadas à saúde, tais como o câncer, as alergias e a asma. Um relatório da Academia Americana de Ciências, de 1982, calculou em 1.400.000 o número de novos casos de câncer provocados por agrotóxicos. Além disso, os alimentos de origem animal estão contaminados pela ação dos perigosos coquetéis de antibióticos, hormônios e outros medicamentos que são aplicados na pecuária convencional, quer o animal esteja doente ou não. Consumindo orgânicos protegemos nossa saúde e a saúde de nossos familiares com a garantia adicional de não estarmos consumindo alimentos geneticamente modificados.

Gengibre alivia dores musculares


O gengibre (Zingiber officinale) ajuda a
reduzir dores musculares, diz estudo.


Conhecido principalmente por ajudar a tratar dores de garganta, gripes e resfriados, o Gengibre (Zingiber officinale) pode ser eficaz também em amenizar dores musculares após exercícios pesados, segundo pesquisa americana recentemente publicada na revista científica Journal of Pain Results.
Avaliando cerca de 70 voluntários, pesquisadores da Universidade da Geórgia, nos EUA, descobriram que o uso de gengibre por 11 dias consecutivos pode reduzir significativamente as dores musculares induzidas por 18 exercícios. As análises mostraram que suplementos diários com dois gramas de gengibre cru ou tratado com calor podem reduzir de 23% a 25% as dores causadas pela musculação.
De acordo com os autores, a planta têm propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, e esse potencial deve ser mais explorado pela medicina tradicional. “Os custos econômicos e pessoais da dor são extremamente altos”, escreveu o pesquisador Patrick O'Connor. “Qualquer coisa que possa, realmente, amenizar esse tipo de dor (induzida por exercícios) será altamente bem vinda por muitas pessoas que sofrem dela”, concluiu o especialista.

Clique para saber mais (em inglês)

Fonte: Blog Boa Saúde

O bacana é que podemos utilizar o Gengibre em forma de tintura, fresco, pó desidratado ou óleo essencial. Pode ser aplicado em massagens (muito eficiente), alimentação, decocção, entre outros.
São diversos os benefícios do Gengibre! É digestivo, anti-inflamatório, ótimo para quem tem cefaléia ou tratamento coadjuvante a enxaqueca, entre outros.
Muito usado na Medicina Tradicional Chinesa, em sintomas de "frio" e "umidade".
Vale a pena inserir regularmente na alimentação!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Leites com redução de Lactose e Bebidas de Cereais


As restrições alimentares são assuntos cada vez mais comuns em artigos científicos relacionados a diversas patologias. Graças a evolução da ciência, hoje existem testes mais precisos que permitem identificar alergias ou intolerâncias alimentares de diversos grupos de alimentos.
Há estudos que demonstram relação entre alergia/intolerância alimentar ao modo de vida atual: alimentos industrializados e refinados, inserção de alimentos prematuramente a bebês e até mesmo o excesso de um tipo de alimento na alimentação, além de causas genéticas que não são descartadas, etc.
Todo mundo conhece pelo menos uma pessoa que tem algum tipo de restrição alimentar, leite e derivados, glúten, soja, açúcar, etc. Mas a boa notícia para quem precisa cuidar da alimentação é que cada vez mais restaurantes e indústrias pequenas, médias e grandes tem se preocupado em incluir alimentos especiais para quem possui algum tipo de restrição alimentar.

Encontrei uma matéria interessante sobre tipos de leite e bebidas de cereais na Revista Vida Sem Glúten e Alergias e resolvi compartilhar. Das bebidas de cereais, eu indico especialmente duas: Nativé e IsolaBio/Finestra. Inclusive são indicadas para receitas, em substituição ao leite e ficam deliciosas. Aqui no sul, na rede de supermercados Angeloni, temos uma outra marca também boa, a Alpro, que além de possuir ampla linha de bebida de soja, inclusive sem açúcar, tem uma linha de sobremesas, no estilo "chandelle". A Batavo também tem uma linha de iogurtes e sobremesas de soja que são uma ótima opção.

Para quem não pode se beneficiar da soja, alimento muito comum em substituições ao leite, existem marcas como a IsolaBio e Finestra que possuem bebidas de arroz, amêndoas, kamut, entre outros, que são igualmente deliciosos e podem também ser utilizados como substitutos de leite em receitas. Eu tenho algumas receitinhas, muito boas por sinal, de bebidas de cereais. Em um próximo momento posso publicá-las aqui.

Um abraço e boa leitura a todos.
-----

Entendendo a diferença entre alergia à proteína do leite e intolerância à lactose

A alergia à proteína do leite (como a caseína) é uma resposta imunológica do organismo, que entende essa proteína como agente estranho que precisa ser combatido, causando reações como diarréia, urticária, sintomas respiratórios (como asma) e até febre. Após a identificação da alergia por um médico qualificado, é necessário eliminar o leite e seus derivados da dieta.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Dicas Naturais para Síndrome Pré-Menstrual ou TPM

As alterações hormonais antes da menstruação afetam a vida de seis em cada dez brasileiras. A popularidade da síndrome ou tensão pré-menstrual, mais conhecida como TPM, está cientificamente comprovada: a expressão faz parte do vocabulário de quase todas as mulheres.
Nervosismo, ansiedade e irritabilidade são os principais sintomas relatados por elas: 76,4% das mulheres que têm TPM sofrem esse tipo de problema. Mais da metade delas têm alterações de humor e crises de choro, a metade delas sente cólicas fortes e pouco mais de um terço relata dor e inchaço nos seios.
As constatações são de um estudo feito pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e pelo Centro de Pesquisas em Saúde Reprodutiva de Campinas. Durante pouco mais de um ano, os pesquisadores entrevistaram pessoalmente 1.053 mulheres entre 18 e 40 anos, de seis capitais brasileiras.
Os resultados foram publicados na revista científica "International Journal of Gynecology and Obstetrics" e mostram uma realidade que não poderia ser diferente: 65,4% das entrevistadas consideraram que todas as mulheres em algum momento da vida já experimentaram a TPM e 87,5% confirmaram que os sintomas acontecem antes da menstruação.
Hipócrates, o médico grego, relatou as alterações hormonais no ano 400 a.C., mas as primeiras descrições oficiais da TPM só apareceram em 1931. Estudos epidemiológicos brasileiros nunca foram feitos -o que havia até agora eram pequenos trabalhos localizados.
"O ineditismo desse trabalho está em traçar o perfil da mulher moderna. Trata-se de um raio-x sério do problema, que foi feito com rigor científico e incluiu mulheres de todas as regiões do país", diz o ginecologista Carlos Alberto Petta, professor da Unicamp e autor principal do levantamento.
O aparecimento da TPM é comum, mas não dá para generalizar. Há mulheres que não têm TPM. Segundo a pesquisa, essas são 40% da população.
Existem três graus do problema: leve (45% das mulheres), moderado (45%) e intenso (10%). Nesse último grau, a TPM também é chamada de transtorno disfórico e considerada uma doença, que necessariamente deve ser tratada com medicamentos.
Mas esse tipo de distúrbio intenso - tratado em geral com antidepressivos e anticoncepcionais -, é raro. Na maioria dos casos, dá muito bem para aliviar os sintomas que aparecem nos dias que antecedem a menstruação com uma série de atitudes simples relacionadas a alimentação, atividades físicas e outras técnicas naturais.

O que pode ajudar
Chás
Camomila e Maracujá (folhas) são consagrados para aliviar crises nervosas e promover uma sensação de relaxamento. São ideais para mulheres com sintomas de ansiedade e nervosismo, porém possuem contra-indicações.
Já para mulheres que apresentam sintomas depressivos existem outras ervas que podem auxiliar, mas é necessário consultar um Naturólogo para avaliar caso a caso.

Acupuntura
Entre as alternativas não-medicamentosas para o alívio da TPM, a Acupuntura é a mais recomendada. Segundo a médica acupunturista Angela Tabosa, da Unifesp, ela atua de duas formas: energicamente - as cólicas seriam uma estagnação de energia na pelve e, assim, a acupuntura restabeleceria a circulação energética, diminuindo a dor - e por meio da ação analgésica, que possui resultados científicos comprovados.

Florais
Os florais podem auxiliar em diversas situações da vida, inclusive para minimizar os sintomas emocionais e físícos da TPM. Impatiens, Beech, Cherry Plum e Rescue Remedy são algumas essências florais comumente utilizadas para equilibrar as emoções que oscilam bastante durante este período. Consulte um Naturólogo para adequar um composto floral as suas necessidades.

Fitoterapia: Naturólogos rebatem Dráuzio Varella


Professores do curso de Naturologia contestam quadro veiculado no programa Fantástico, da Rede Globo, onde o médico Drauzio Varella desconsidera fitoterápicos

Ao contrapor as idéias do médico Drauzio Varella, que no programa Fantástico, da TV Globo, lançou dúvidas sobre a eficácia das plantas medicinais, o coordenador do curso de Naturologia, professor Fernando Hellmann, disse que há pesquisas científicas que comprovam o uso de determinados fitoterápicos e citou evidências, como as políticas do Ministério da Saúde sobre o tema, assim como a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que possui uma lista de plantas medicinais seguras para uso no cuidado à saúde.

A ANVISA fiscaliza e organiza as políticas de saúde para o país e em sua portaria 971, de 3 de maio de 2006, aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS). Já o decreto Decreto 5.813, de 22 de junho de 2006, aprova a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no país.

Por esses dados, o professor Fernando estranha a série de reportagens de Drauzio Varella, desmerecendo a eficácia de qualquer outra linha que não a medicina moderna ocidental, que o programa Fantástico começou a exibir domingo passado.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Campanha: Mamãe, massageie seu bebê, faça Shantala!

Mais do que um estímulo a manter o vínculo com seu bebê, importante fator para a saúde mental e vínculo familiar, a prática diária da Shantala auxilia em diversos aspectos o desenvolvimento do bebê. Proporciona alívio das cólicas, acalma o bebê, combate o estresse e ansiedade, produz relaxamento tônico, melhora a função motora, a habilidade de coordenação, facilita a respiração e digestão, assim como a compreensão dos pais acerca do comportamento do bebê.
Dr. Fréderick Leboyer, que foi quem "descobriu" essa maravilhosa técnica na Índia e resolveu nos presentear com tamanho conhecimento oriental passado há milhares gerações de mãe para filha, relata sobre a simplicidade da Shantala: "A massagem dos bebês é uma arte tão antiga quanto profunda. Simples, mais difícil. Difícil por ser simples. Como tudo o que é profundo".
A prática da Shantala é um carinho que a criança recebe através do toque das pessoas mais importantes para a vida dela: seus pais (sim, o pai também pode massagear). O carinho que uma criança recebe vai influenciar na sua auto-imagem, fazendo com que ela se sinta querida, bonita, segura, aceita e mais tarde possa se relacionar e superar mais facilmente os desafios do dia-a-dia durante todo o seu desenvolvimento psicoemocional e motor.
Por tantos benefícios que a Shantala promove para o bebê e pais, resolvi criar a campanha "Mamãe, massageie seu bebê, faça Shantala!" para divulgar aos pais os benefícios que proporcionam para o seu bebê ao praticar diariamente a Shantala.

Para participar é fácil: Copie o texto da caixa abaixo da ficura e cole em uma janela HTML no seu blog ou site.


"O início da vida é o fundamento da vida inteira. Aqueles que recebem cedo toque suficiente têm, como mudas bem regadas e cuidadas, maior possibilidade de vicejar e se tornar plantas saudáveis." (Eva Reich)

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Saúde e Doença: Um outro olhar

"Tuas forças naturais, as que estão dentro de ti,
serão as que curarão suas doenças. " (Hipócrates)

Muitas vezes vemos a doença como um sintoma corriqueiro e dificilmente paramos para pensar o que realmente nos levou a ter estes sintomas. A rotina do dia-a-dia, as preocupações com o mundo "fora" fazem nos esquecer de "conversar" com o nosso "dentro". É cômodo tomar um comprimido e continuar a burlar as nossas reais necessidades.
Pare, reflita, ouça e reconheça as necessidades do seu corpo!

Abaixo eu publico um texto que encontrei no blog da minha colega Naturóloga Daniela Girotto.


Sempre que sentimos algum mal-estar a primeira coisa que pensamos é encontrar uma maneira de fazer desaparecer o sintoma, pois somos imediatistas e tratamos apenas as aparências, não buscamos a origem ou as causas.

De um modo geral a saúde é encarada como um estado de não-doença, e é muito mais fácil tomar um medicamento para aliviar a dor do que compreender a mensagem que o organismo está sinalizando.

A grande maioria das pessoas procura um profissional da área da saúde somente quando está sentindo dor ou desconforto, buscando não apresentar mais os sintomas, ou seja, voltar ao estado anterior à doença. Mas, para a Organização Mundial de Saúde, o conceito é mais amplo, “saúde é um estado completo de bem-estar físico, mental e social e não meramente a ausência da doença ou enfermidade”.

Edward Bach acreditava que saúde é a perfeita harmonia entre alma, mente e corpo; e a doença, o resultado do conflito entre alma e mente.

Bach julgava a doença benéfica para o paciente, pois nos aponta os nossos maiores defeitos, é o verdadeiro caminho para a “cura”. Saúde e doença, portanto, são aspectos de um mesmo movimento, é através do desequilíbrio que atingimos um novo equilíbrio e é através da doença que alcançamos a saúde.

Toda doença ou desconforto, por mais ou menos sérios que sejam, é um sinal que o nosso corpo dá indicando que estamos agindo erroneamente, que não estamos sintonizados com a nossa saúde, com as nossas vontades, com os nossos valores. É um sinal de que estamos contra nós mesmos e de que devemos entrar em contato com a nossa própria essência, desenvolvendo consciência do processo de vida e dos mecanismos que criamos para gerar a doença.

A cura completa vem essencialmente de dentro de nós e para Bach depende de quatro fatores:

1 – Compreensão da divindade dentro de nós e conhecimento de que temos a capacidade de superar todos os problemas.

2 – Entender que a doença é conseqüência da desarmonia entre alma e personalidade.

3 – Desejo e capacidade para descobrir o problema que está causando o conflito.

4 – Remoção do problema (desenvolvendo a virtude oposta).

É preciso estar atento à lição que a doença traz. Como tudo que acontece na nossa vida, a doença também tem um “para quê”: “para quê” possamos olhar mais para as nossas necessidades antes de olharmos para a necessidade dos outros, “para quê” encontremos horários de lazer no nosso dia a dia, mas principalmente “para quê” nos amemos mais.

Fonte: Blog Naturologia Mococa