Conceito Oficial de Naturologia


"A Naturologia é um conhecimento transdisciplinar que atua em um campo igualmente transdisciplinar. Caracteriza-se por uma abordagem integral na área da saúde pela relação de interagência do ser humano consigo, com o próximo e com o meio ambiente, com o objetivo de promoção, manutenção e recuperação da saúde e da qualidade de vida." (I Fórum Conceitual de Naturologia, 11/2009 - SC)

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Acupuntura funciona mesmo


Estudos mapeiam seus efeitos no cérebro e revelam seu poder contra as dores e os transtornos emocionais.
por Diogo Sponchiato


    Se ainda havia algum ocidental desconfiado que, a exemplo de São Tomé, precisava ver para crer o resultado de uma porção de agulhas finíssimas sobre o corpo, ele provavelmente deixará suas suspeitas de lado ao saber o que andam desvendando neurocientistas ao redor do globo. Na Inglaterra, uma equipe da Universidade de York acaba de exibir, por meio de imagens de ressonância magnética, que uma espetada em um ponto da mão reduz a atividade de áreas do cérebro que regem a percepção da dor. Enquanto isso, nos Estados Unidos, um experimento com camundongos da Universidade de Rochester endossa o efeito analgésico da técnica oriental ao provar que ela estimula a liberação de uma molécula, a adenosina, responsável por aliviar o desconforto. São provas, vistas a olho nu ou sob a lente do microscópio, que permitem à ciência deste canto do mundo reconhecer o que os sábios chineses já apregoavam sobre o método que ganha milhões de pacientes no Brasil e no resto do Ocidente. 
    "A acupuntura trabalha com estímulos em determinadas regiões do corpo que exercem um reflexo sobre outras", explica a médica acupunturista Angela Tabosa, chefe do Laboratório de Pesquisa Experimental em Acupuntura da Universidade Federal de São Paulo. "Essas respostas são, por sua vez, intermediadas pelo sistema nervoso", completa. É que as agulhas inseridas disparam impulsos que viajam pela rede nervosa até provocarem reações no cérebro. Esse mecanismo é imediato e, por interferir na massa cinzenta, surte efeitos mais duradouros. "A técnica tem uma ação sobre a musculatura, ajudando-a a relaxar, e incita, na medula, a produção de substâncias que inibem a passagem dos impulsos dolorosos", conta Dirceu de Lavôr Sales, presidente do Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura. "No cérebro, ela induz a liberação de neurotransmissores com função analgésica e outros por trás da sensação de bem-estar." Dessa forma, alfinetam as dores, espetam, ou melhor, espantam o estresse e ganham papel de protagonista ou ator coadjuvante no desarme de uma lista de problemas. 
    Para botar no papel todas as indicações da acupuntura, seria preciso preencher um extenso pergaminho da China antiga. As agulhas, é claro, não são uma panaceia, mas surpreendem até os olhos céticos. Em uma experiência com ratos que sofreram lesões na coluna vertebral da Universidade Kyung Hee, na Coreia do Sul, por exemplo, os animais que foram submetidos às espetadas se recuperaram e voltaram a andar mais cedo do que os bichos livres das picadas. A acupuntura coibiu inflamações e impediu, assim, a destruição progressiva de células nervosas da coluna. É esse poder anti-inflamatório, aliás, que garante à terapia lugar de destaque no combate a asma, dores crônicas… 
    Outra virtude da técnica é equilibrar as emoções, debelar a ansiedade e o desânimo e reforçar o adeus aos vícios. "Ao modular a ação da dopamina, um neurotransmissor ligado ao prazer, o método ajuda a suprir a necessidade da droga", explica Angela Tabosa. Nesse sentido, até a obesidade entra na dança. "As agulhas auxiliam a reduzir a compulsão por comida", afirma a pediatra e acupunturista Márcia Yamamura, coordenadora do Centro de Estudo e Pesquisa da Medicina Chinesa, em São Paulo. 
    As picadas prestam serviço a todas as idades e se revelam generosas às gestantes. Um trabalho da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, aponta que elas aliviam a depressão durante a gravidez. "É uma forma de estimular o organismo a fabricar neurotransmissores como a serotonina, em baixa no distúrbio", explica Dirceu Sales. "Na gestação, a acupuntura também minimiza as náuseas, a azia, a insônia e as dores nas costas", enumera o médico acupunturista João Bosco Guerreiro da Silva, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior paulista. 
    Mesmo quem não guarda no ventre uma criança ou está são e salvo de doenças pode tirar proveito das agulhas. "O ideal é que elas fossem usadas de modo preventivo, afastando um problema antes de ele se manifestar", opina Angela. Como abafam o estresse, também derrubam o risco de ficar de cama. A garantia de tanto benefício depende, vale frisar, de um terapeuta qualificado. "É um tratamento que deve ser ministrado apenas por médicos e dentistas, que conhecem anatomia e têm capacidade de fazer diagnóstico", avisa Sales. "A acupuntura só é contraindicada quando o profissional não sabe usá-la ou desconhece recursos terapêuticos melhores para o paciente, permitindo, assim, a postergação de problemas que podem ser fatais", alerta Ruy Tanigawa, presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura. Do contrário, está liberada para entrar em cena, isto é, na sua pele.

Aplicações com o aval da medicina ocidental
  • Alergia 
  • Asma 
  • Dor de cabeça 
  • Dor nas costas 
  • Doenças das articulações 
  • Hipertensão 
  • Fibromialgia 
  • Dores musculares 
  • Gastrite e refluxo 
  • Síndrome do intestino irritável 
  • Constipação 
  • Tensão pré-menstrual e menopausa 
  • Depressão e Ansiedade 
  • Gravidez 
  • Sequelas de derrame 
  • Doenças da pele 
  • Obesidade 
  • Endometriose 
  • Insônia 
  • Distúrbios hormonais 
  • Efeitos colaterais da quimioterapia


Para todos os gostos
    Conheça as principais variações do método. Os pontos utilizados são os mesmos, mas nem sempre há necessidade de agulhas
  • Eletroacupuntura: as agulhas são conectadas a um aparelho que emite correntes elétricas. A ideia é que os estímulos mais intensos possam acelerar a resposta à terapia. A técnica é recomendada no tratamento de dores agudas. 
  • Raio laser: o aparelho é direcionado aos pontos onde seriam inseridas as agulhas. Os terapeutas costumam recorrer a esse método em crianças e no caso de pessoas que têm pavor das espetadas. 
  • Moxabustão: o estímulo é feito por meio do calor, obtido com a queima de uma planta, a artemísia. Pequenos bastões acesos são aproximados das regiões que tradicionalmente receberiam as picadas. 
  • Por sistemas: são as versões que priorizam partes do corpo para conseguir respostas sobre todo o organismo. Entre as mais famosas, estão a auriculopuntura, que usa pontos na orelha, e a craniopuntura, que se vale do couro cabeludo.


Uma técnica, vários usos
  • No dentista: a acupuntura pode ser requisitada antes ou depois do tratamento dentário, diminuindo o nervosismo ou possíveis dores mais tarde. É coadjuvante no controle de problemas de oclusão. 
  • No esporte: as agulhas são convocadas para minorar dores musculares, ajudar na recuperação das lesões e aperfeiçoar o desempenho do atleta. 
  • Na anestesia: como tem um efeito sobre a medula, a acupuntura corta, temporariamente, a transmissão dos estímulos dolorosos. Por enquanto, é mais empregada em procedimentos de pequeno porte. 


Fonte: Saúde

quinta-feira, 15 de março de 2012

Shantala, um toque de Amor!

   Quem tocar em outros suavemente poderá demonstrar seu carinho de melhor maneira do que por palavras e, ao mesmo tempo, proporcionar bem-estar. A necessidade de contato, aconchego e calor existe desde tempos imemoráveis. Nada pode expressar tanto quanto um gesto que vem do coração. Todo o ser humano precisa de contato carinhoso, em particular os menores dentre nós, os bebês.
    A massagem infantil, uma antiga tradição em muitas culturas, está sendo redescoberta no Ocidente. Em diversos lugares do mundo a massagem em bebês faz parte da rotina dos cuidados dispensados nos primeiros anos de vida e sempre foi aplicada intuitivamente através da tradição de várias culturas, mas foi a partir de 1970, depois que o médico francês Frederick Leboyer retornou de uma visita da Índia é que nós, pessoas do “mundo moderno”, ficamos conhecendo a mais famosa prática de massagear os bebês, a Shantala.
    A Shantala é uma massagem tradicional indiana baseada nos princípios da Medicina Tradicional Ayurveda especialmente indicada para bebês e crianças. Na Índia, é realizada tradicionalmente pela mãe, em um conhecimento milenar passado de mãe para filha há muitas gerações.

"Antes ser uma técnica a Shantala é uma arte, a arte de dar amor, e pode ser praticada por todos os que queiram experimentar este momento de intenso amor com seu bebê."

domingo, 4 de março de 2012

"Viver um sonho é realizar a felicidade"


Hoje eu li um artigo na revista Época entitulado "A terapia em alto mar" (leia aqui), cujo autor Vilfredo Schürmann fala sobre a Naturologia Aplicada, minha graduação tão querida. 
Fiquei tão emocionada... porque nós, Naturólogos, estamos sempre buscando o reconhecimento da nossa profissão, apresentando ela à outros profissionais da área da saúde, conquistando nosso espaço sem tirar o espaço de ninguém, e trazendo bons resultados tanto em parcerias quanto em casos clínicos. 
Tenho muito orgulho de ser quem eu sou, de escolher a profissão que escolhi e de trilhar o caminho que trilhei... e é pelo grande amor que tenho pela minha profissão que resolvi compartilhar esse discurso emocionante que foi proferido recentemente pelo Sr. Vilfredo Schürmann na formatura de uma turma de Naturologia Aplicada da Universidade do Sul de Santa Catarina, a qual também me formei em 2006.
Espero que gostem, é com muito orgulho que publico isso aqui, o reconhecimento do nosso trabalho por uma pessoa tão importante e tão iluminada.
Obrigada Capitão!!!!

Um abraço, Fernanda.
_______________________________


(*) O discurso abaixo foi proferido na formatura dos cursos de Naturologia Aplicada, Psicologia e Pedagogia da Unisul, Campus da Grande Florianópolis, em 5 de fevereiro de 2012.

Estou muito feliz nesta noite! Feliz por tido a honra de ser convidado para ser paraninfo de três cursos.

Pensei como iria começar a falar a vocês nesta noite e senti a necessidade de fazer uma analogia das minhas experiências vividas nesses 28 anos navegando pelo mundo.

No mar aprendemos que as dificuldades e os desafios que vivemos são importantes para o nosso crescimento e nossa transformação. Nas longas navegações temos que acreditar uns nos outros, aceitar uns aos outros e entender que cada um tem um papel importante para levar a embarcação a um porto seguro.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Receita: Bebida Vegetal de Cereais

As bebidas vegetais são ótimas opções tanto para quem não gosta quanto para quem é intolerante ou alérgico ao leite, como já discutimos anteriormente no post Leites com redução de Lactose e Bebidas de Cereais. De lá para cá entrou no mercado uma outra marca de bebidas vegetais, a da Jasmine, que possui as bebidas de Arroz e Aveia, sem adição de açúcar, nas apresentações de 1l e 200ml. Particularmente, eu acho as melhores bebidas vegetais que tem no mercado nacional hoje, não é segredo pra ninguém que eu não gosto muito de indicar bebidas de soja, por uma série de motivos, os quais eu apresento em outra oportunidade.

Porém, como nem tudo é perfeito, o valor delas é que é a maior desvantagem.. entre 13 e 16 reais o litro. Por esse grande motivo, resolvi apresentar uma solução muito viável, um pouco trabalhosa, mas cujo resultado não fica atrás de nenhuma das bebidas industrializadas prontas. Inclusive, são essas, as que fazemos em casa, que são mais saudáveis.
Quando encontrei o post no blog Vista-se, logo lembrei da época de faculdade, das receitinhas de bebidas de vegetais que indicávamos no estágio, já que naquele tempo tínhamos praticamente só o "Ades" como opção. Resolvi compartilhar com vocês esse vídeo bacana, e eu garanto, o resultado é delicioso!!

Amor materno durante infância previne doenças na meia-idade


Adultos que tiveram uma infância marcada pelo amor materno apresentam um estado de saúde bem melhor do que aqueles que não desenvolveram uma relação íntima com as próprias mães. 

A conclusão é de uma pesquisa da Universidade Brandeis, em Massachusetts (EUA), que avaliou mil adultos para medir a analogia entre pobres condições socioeconômicas e doenças como diabetes, pressão alta e ataque cardíaco. Um segundo grupo formado por 1.200 pessoas supervisionadas nos últimos dez anos também foi considerado no acompanhamento médico. 

Outros cientistas já demonstraram que crianças que crescem em áreas pobres são mais propensas a desenvolver doenças crônicas ao atingir a idade adulta. 

O pessoal da Brandeis, porém, ficou intrigado com as crianças que, vivendo exatamente nessas condições, não apresentavam doença alguma na fase adulta. "O estresse na infância pode levar a resíduos biológicos que reaparecem na meia-idade", comenta a principal autora do estudo, a professora Margie Lachman, que publicou o trabalho no jornal "Psychological Science".

O amor maternal durante a idade infantil seria uma espécie de "escudo" de proteção contra doenças a longo prazo.

Fonte: Folha SP. Imagens: Gettyimages.

Vale ressaltar que o amor paterno e dos avós também é válido, apesar de não constar no artigo acima. Bacana o estudo, né? Reforça mais uma vez a importância de criar e fortalecer o vínculo afetivo para o desenvolvimento infantil dos nossos bebês!!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Musicoterapia no tratamento do Câncer

Achei interessantíssima essa reportagem que li do jornal O Globo e resolvi compartilhar com vocês.
Se levarmos isso à reflexão, concluímos que o tratamento de doenças, como no caso o câncer, está além do físico, dos medicamentos, é muito mais integral e amplo. A Naturologia reforça tudo isso quando capacita profissionais que avaliam e tratam seus pacientes de maneira integral e holísitica (holos = totalidade). Ponto para nós e para os pacientes!
Boa leitura!!

Células tumorais expostas à 'Quinta Sinfonia', de Beethoven, perderam tamanho ou morreram

RIO - Mesmo quem não costuma escutar música clássica já ouviu, numerosas vezes, o primeiro movimento da "Quinta Sinfonia" de Ludwig van Beethoven. O "pam-pam-pam-pam" que abre uma das mais famosas composições da História, descobriu-se agora, seria capaz de matar células tumorais - em testes de laboratório. Uma pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ expôs uma cultura de células MCF-7, ligadas ao câncer de mama, à meia hora da obra. Um em cada cinco delas morreu, numa experiência que abre um nova frente contra a doença, por meio de timbres e frequências.

A estratégia, que parece estranha à primeira vista, busca encontrar formas mais eficientes e menos tóxicas de combater o câncer: em vez de radioterapia, um dia seria possível pensar no uso de frequências sonoras. O estudo inovou ao usar a musicoterapia fora do tratamento de distúrbios emocionais.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Meus votos para 2012!

"Sonhe! Experimente! Faça o novo! Busque a concretização dos seus desejos todos os dias! E lembre-se, você é o único responsável pelo seu destino..."



Recebi via Facebook esse vídeo-mensagem e resolvi compartilhá-lo com vocês.
Ficam aqui os meus votos para um ano novo repleto de realizações e bons momentos.
Que vocês encontrem o caminho da realização de todos os seus sonhos e que a coragem seja companheira por onde vocês forem e em tudo o que fizerem no ano de 2012. Acreditem nos seus sonhos, e batalhem para que eles se tornem realidade, porque é possível!

Obrigada e Boas festas!!!!
E aguardem novidades para 2012 no blog.. :)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Um pouco sobre Terapia Floral..



Na ânsia de colocar o blog de novo em funcionamento, iniciei minha busca por reportagens e estudos que comprovam os benefícios das terapias complementares. Encontrei um artigo bacana, de fácil entendimento, na revista Viva Saúde a respeito dos Florais de Bach. Segue trechos da matéria com comentários meus em itálico.



A sensibilidade dos Florais de Bach
Por Cristina Almeida

Edward Bach era médico homeopata e patologista e possuía um talento especial: uma grande sensibilidade para a natureza. Interessado em aliviar o sofrimento humano, um dia descobriu que a diluição de essências florais era um sistema terapêutico capaz de equilibrar estados emocionais negativos, causa de doenças físicas e mentais. Segundo Bach, a ação dessas essências não se dá por meio de um processo químico ou farmacológico, mas vibracional. Essa qualidade promoveria uma ressonância celular estimulante da saúde.
O National Center for Complementary and Alternative Medicine, do Instituto de Saúde dos EUA, classifica essa terapia como frontier medicine, isto é, ainda pouco explorada. Apesar disso, considerado o número de pessoas que dela se beneficiam, tem financiado estudos científicos para observação de seus efeitos. As 38 essências florais descobertas por Bach tratam as pessoas e não as doenças, e cada floral corresponderá às características individuais, bem como a forma como cada um reage às situações da vida.

6 razões para tomar os Florais
1. Embora não seja único, é o principal instrumento utilizado para o equilíbrio das emoções e dos comportamentos mentais. Pode ser usado de maneira complementar, integrando-se perfeitamente em todo tipo de tratamento (nutricional, homeopático etc.). (inclusive em tratamentos médicos convencionais, pois também não interagem com medicamentos alopáticos)

2. Não possuem contraindicações nem efeitos colaterais, pois não são remédios. Até mesmo mulheres grávidas podem usá-los. Indicados sem limite de idade e por tempo indeterminado. (UM GRANDE MITO na minha opinião pessoal é que o uso de Florais não tem contraindicações e nem efeitos colaterais. Já vi efeitos colaterais com uso de Florais como insônia, pressão baixa, enjôos, tonturas, que vieram com o uso e prescrição incorretos. Então muito cuidado, SEMPRE procure um profissional capacitado, exija o diploma em formação de terapeuta floral)

3. Estimulam sentimentos como o amor, a fé, a esperança, a alegria, coragem e paz, além de outras qualidades necessárias para que cada pessoa possa enfrentar a vida e as doenças de forma mais equilibrada. (Ok! =) )

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Shantala: matéria e entrevista com Fernanda Fock

Dia 16 de dezembro no Jornal O Correio do Povo daqui de Jaraguá do Sul, SC, saiu uma entrevista comigo sobre a Shantala e seus benefícios para o desenvolvimento dos bebês. E como nem todos tem acesso ao conteúdo, resolvi publicar a matéria também aqui no blog.
Agradeço a toda equipe, a matéria ficou bem escrita e de fácil compreensão. 

A próxima turma do Curso de Shantala para gestantes, mamães, casais e bebês está programada para março de 2012. Outras informações no email fcfock@gmail.com

Shantala: a técnica para deixar bebês massageados e tranquilos
Massagem auxilia no desenvolvimento motor e emocional da criança
Kelly Erdmann

Dizem que a Índia é um mundo a parte do restante do globo terrestre. Com uma cultura completamente diferente da que estamos habituados, o país tem incentivado a curiosidade dos estrangeiros faz tempo. Mas, além de seus costumes exóticos, ele também vem ensinando muitas práticas valiosas, como, por exemplo, a shantala.
Muito comum entre os indianos, essa massagem é própria para ser aplicada pelas mamães em seus bebês. Segundo a acupunturista e naturóloga Fernanda Fock, ela auxilia no desenvolvimento motor e emocional da criança. Isso sem citar muitos outros benefícios, que vão do fortalecimento dos vínculos afetivos, até a melhora do sono e a diminuição e prevenção das tradicionais cólicas, que, literalmente, tiram o sossego de qualquer criança. 

Quem pode praticar
Na Índia, por questões culturais, apenas mãe e filho podem praticar a shantala. Mas, aqui no Brasil e também em outros países ocidentais, a técnica já é comumente utilizada por pais e até avós interessados em estreitar os laços afetivos com os bebês.
No primeiros 20 dias de vida, porém, os adultos precisam tomar certos cuidados na aplicação por causa da cicatrização do umbigo e da descamação da pele. Depois, a prática pode seguir de maneira tradicional até os três anos. 

Os benefícios
Conforme Fernanda Fock, os recém-nascidos que recebem a shantala somam muitos benefícios. Na parte física, a massagem induz ao relaxamento e, assim, também melhora o sono. Ela ainda auxilia no fortalecimento dos membros que precisam sustentar o peso da criança ao engatinhar e andar. Outra contribuição proporcionada pela técnica é a diminuição das cólicas e a eliminação do muco, no caso de resfriados.
Já na face emocional, também oferece uma lista de benfeitorias. “Nos primeiros meses de vida, os bebês possuem três necessidades básicas: sono, alimentação e segurança”, enfatiza a naturóloga. O contato físico do toque, realizado através da shantala, remete-o ao tempo da gestação, quando o corpo roçava no útero. Essas  sensações é que geram aquela percepção de segurança necessária ao desenvolvimento logo após o nascimento. 

Elo de ligação
Os pais que praticam a massagem criam um elo de ligação significativo com o bebê. O carinho exteriorizado através da shantala ajuda na adaptação do pequeno ao “novo” mundo que passa a conhecer a partir do parto. “O momento é único. É onde, muitas vezes, se têm a possibilidade de interagir profundamente com a criança e da maneira mais eficiente, que é o toque”, explica Fernanda. 

Contraindicações 
Apesar de tantos benefícios, a técnica não pode ser praticada a qualquer momento e precisa acompanhar as necessidades dos bebês. De acordo com a acupunturista, alguns cuidados precisam ser levados em conta. Não se pode, por exemplo, praticar a shantala logo depois da amamentação e nem quando a criança está em estado febril, sonolenta ou com fome. Outro detalhe importante é o óleo utilizado, que deve ser apropriado para nenéns e, de preferência, hipoalérgico.

* Fernanda Fock é acupunturista e naturóloga e, na internet, mantém a página virtual.

O recomeço...



 

Já faz algum tempo que não apareço por aqui e muita coisa aconteceu  e mudou em  minha vida pessoal desde então. Perdas e ganhos existem a todo momento e a morte ainda é uma grande desconhecida que só conhecemos ou achamos que conhecemos quando ela aparece próxima de nós.
Mas não vim falar sobre as dificuldades, porque elas existem na vida de todo mundo, vim falar sobre vitórias, as que conquistamos ou estamos a caminho de conquistá-las; sobre saúde, e o que podemos fazer para mantê-la em nossa vida, ou o que podemos mudar para que ela se aproxime de nós; e por fim, vim falar sobre a Naturologia e suas vertentes, uma ciência que cresce a cada dia e que me faz ter certeza que escolhi o caminho certo para a realização profissional.

O recomeço é de certa forma sempre um renascimento, e é por isso que aviso, aguardem novidades no blog para 2012!!

Fernanda Fock, Naturóloga e Acupunturista.
fcfock@gmail.com